A prática de atividade física deve ser agradável.  Ao vivenciar uma experiência agradável, você naturalmente tende a repeti-la.

A ideia não é buscar um modelo de exercício que leve ao sofrimento com o impacto das atividades, um treino muito exagerado pode levar ao desgaste do corpo e a dores crônicas, problemas articulares etc. Quando a atividade física é prazerosa, consegue-se com mais facilidade criar uma rotina, que é a meta mais importante na obtenção de resultados físicos e mentais.

Estudos mostram que, para ter impacto significativo na saúde mental,  a prática de atividade física deve ser frequente (3 a 4 vezes por semana).

 

Através do trabalho do corpo, a atividade física acalma a mente e protege o organismo contra o estresse. Quando feita de forma equilibrada, a pratica de exercícios é também muito eficaz no combate à ansiedade. Hoje já se sabe, inclusive, que o exercício físico pode provocar a neurogênese, que é a fabricação de novos neurônios. Melhora também a receptação de serotonina no cérebro, reduzindo os efeitos da depressão e estimulando a sensação de bem estar, além de ajudar na aprendizagem, entre tantos outros benefícios.

Quanto mais os cientistas pesquisam, mais evidências robustas são produzidas relacionando atividades físicas e saúde mental. Este artigo publicado agora em 2019 no JAMA Psychiatry fornece uma visão atual sobre evidências da proteção que a atividade física fornece contra a depressão: Physical activity protects against depression.