Como lidar melhor com a raiva

Sentimos raiva quando cremos ter sido injustiçados. Mas, às vezes, o problema é essa crença.

"Quando acreditamos que estamos sendo tratados com desigualdade, se algo que consideramos nosso direito nos é negado, imediatamente sentimos uma emoção negativa, que nos impele a buscar a reparação, frequentemente de forma hostil. É a essa emoção negativa, gerada pelo ferimento de uma expectativa, que damos o nome de raiva. Ela está presente de alguma forma não só nos primatas, mas em todos animais sociais. Provavelmente porque sem ela as injustiças prosperariam, desagregando os grupos e inviabilizando a perpetuação da espécie.

Se você tem experimentado muita raiva, portanto, é porque tem se sentido muito injustiçado. Quem sou eu para dizer que não é verdade, mas vale a pena se perguntar: será que é para tanto? Por que nós não temos raiva pelo fato de escurecer à noite quando queríamos aproveitar mais o dia? Ou pelo sol invadir nossa janela quando queríamos esticar um pouco mais o sono? Por que não esbravejamos contra o frio no inverno, nem contra nos o calor no verão? Porque esperamos que essas coisas aconteçam. Não nos parece injusto. Agora pense no sujeito que fica com raiva quando toma uma fechada no trânsito. A manobra em si não tem o poder de deixar alguém mais ou menos nervoso. É a crença de que aquele lugar na rua lhe pertencia e foi-lhe roubado que faz a pessoa ficar com raiva. Quão correta é tal interpretação dos fatos?

A raiva que sentimos quando os outros se atrasam para um compromisso, quando alguém não nos dá a atenção que queríamos, quando perdemos um negócio, está nos dizendo que, em nossa mente, aquilo não era para ser da forma como foi. Mas quem disse que as coisas devem ser como imaginamos? Só num mundo ideal todos dirigem bem, as concorrências são justas, os atendimentos de telemarketing são ágeis e eficazes. Em nossa realidade, uma hora ou outras as coisas darão errado – e viver no autoengano que tudo dará certo é a chave para viver com raiva. O filósofo Arthur Schopenhauer disse que o erro fundamental das pessoas é acreditar que nasceram para ser felizes. Uma vez que pensam assim, tudo o que não contribui para sua satisfação é visto como errado. Mas o erro talvez não esteja em como as coisas são, mas em como acreditamos que elas deveriam ser."

Fonte: Por Daniel Barros em Estadão
Leia o texto na íntegra em http://emais.estadao.com.br/blogs/daniel-martins-de-barros/como-lidar-melhor-com-a-raiva/

Dicas para aprender a lidar com a raiva

  1. O primeiro passo para lidar com a raiva é reconhecer que você está com esse sentimento.

  2. Em seguida, identifique as situações que provocam raiva, sejam reais ou imaginárias.

  3. É importante tentar ver a situação de uma maneira positiva e procurar não levar tudo para o lado pessoal.

  4. Busque relaxamento através da respiração calma e profunda, respirando pelo nariz e soltando o ar pela boca, até que as respostas fisiológicas sejam controladas (coração acelerado, aumento da pressão arterial, tensão muscular). Diga a si mesmo: "Posso controlar a raiva", "Posso assumir o controle das minhas emoções".

  5. Tente adotar uma postura assertiva e a expressar de forma adequada os seus sentimentos. A psicoterapia ajuda e muito!

  6. A prática de atividades físicas ajuda a manter o corpo ativo e a provocar uma sensação de bem estar e relaxamento. 

  7. Por último, mas muito importante, só resolva a situação que o fez ficar aborrecido quando já estiver com a raiva controlada!